Cidades Inteligentes para sociedades sustentáveis e inclusivas

Smart Cities for Sustainable and Inclusive Societies

O GIMLA (The St. Gallen Institute of Management in Latin America) e a swissnex Brasil organizaram um debate sobre Cidades Inteligentes no dia 18 de setembro de 2018 no Rio de Janeiro. Durante este evento inaugural do WISE (Working group on Inclusive and Sustainable Urban Environment), especialistas compartilharam seus pontos de vista sobre o potencial de novas tecnologias e inovação no conceito de cidades inteligentes para enfrentar os desafios atuais de desenvolvimento urbano.

A importância das cidades
As cidades desempenham um papel crescente na formação de nossas sociedades. Elas abrigam a maior parte da população global, concentram o poder econômico e o comércio e estimulam a inovação e a mudança. A América Latina é uma das regiões mais urbanizadas do mundo (80%) e as cidades geram mais de 70% do seu PIB. As respostas para muitos dos desafios de desenvolvimento de hoje precisarão ser encontradas nas cidades.

Inteligente como solução?
O conceito de cidades inteligentes reconhece o ritmo acelerado de transformação dos ambientes urbanos, bem como a necessidade de abordagens mais inteligentes e abrangentes, que incluam todos os setores na tomada de decisões. As novas tecnologias permitem reduzir a lacuna entre as constantes mudanças e o ritmo de resposta. De sistemas de transporte inteligentes e redes inteligentes, a sofisticados serviços de geolocalização: o principal desafio ainda é como tornar cidades inteligentes diferentes de modelos de cidades anteriores? As cidades industriais, criativas e baseadas em serviços eram muitas vezes tanto um motor de crescimento quanto de desigualdade e exclusão.

Do Smart ao WISE
O GIMLA criou um Grupo de Trabalho sobre Ambientes Urbanos Inclusivos e Sustentáveis ​​(Working group on Inclusive and Sustainable Urban Environment – WISE) com o objetivo de fomentar pesquisas de ponta e intercâmbios intersetoriais sobre o crescente interesse em cidades inteligentes na América Latina. O objetivo do WISE é estimular debates multidisciplinares com um foco centrado no ser humano, criando sinergias entre pesquisa, ensino e atividades de extensão. O grupo de trabalho pretende gerar novos insights sobre as múltiplas maneiras pelas quais novas tecnologias podem reverter certas tendências de urbanização e contribuir para um desenvolvimento mais sustentável e inclusivo.

Painelistas

Maria Gilda Pimentel Esteves
Pesquisadora líder do FutureLab, Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Maria é doutora em Engenharia de Sistemas e Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, mestre em Geologia e Geofísica Marinha pela Universidade Federal Fluminense, bacharel em Ciências Biológicas e em Biologia Marinha. Tem experiência nas áreas de gestão do conhecimento, banco de dados, controle de qualidade de dados e gerenciamento de equipes multidisciplinares em projetos ambientais e de ciência cidadã. Sua pesquisa atual se concentra na concepção e avaliação de infraestruturas tecnológicas para participação pública em pesquisas científicas, em particular aquelas baseadas em abordagens de ciência cidadã. Ela é cocriadora da Blue Change, uma iniciativa para disseminar e assessorar projetos de ciência cidadã no Brasil relacionados à conservação de ambientes marinhos e costeiros. Desde 2016, é líder de pesquisa no Futurelab, onde coordena o desenvolvimento e a operação da plataforma Fast Science, uma infraestrutura projetada para apoiar a criação e execução de projetos científicos com participação da sociedade.

Luiza A. F. Mesquita
Coordenadora de Projetos do Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS)
Luiza é formada em Relações Internacionais pela Fundação Armando Álvares e Penteado (FAAP) e obteve um mestrado em Administração de Empresas na área de TI da Fundação Getúlio Vargas (FGV-SP), aprofundando o debate sobre economia colaborativa, economia criativa e inovação. Trabalhou como coordenadora de pesquisa no Centro de Estudos sobre o Desenvolvimento da Sociedade da Informação sobre o desenvolvimento de tecnologias de informação e comunicação no Brasil. Luiza também se especializou em metodologias de pesquisa e é coordenadora de projetos do ITS Rio, liderando a linha de pesquisa Repensando a Inovação.

Jhessica Reia
Líder de Projeto, Fundação Getulio Vargas (FGV)
Jhessica é mestre e doutora em Comunicação pelo Programa de Pós-Graduação em Comunicação e Cultura da Universidade Federal do Rio de Janeiro, com estágio de pós-graduação na Universidade McGill. Obteve bacharelado em Gestão de Políticas Públicas pela Universidade de São Paulo. Desde 2011, Jhessica trabalha como pesquisadora e líder de projetos no Centro de Tecnologia e Sociedade da Fundação Getulio Vargas (CTS-FGV), onde coordena projetos de pesquisa, atividades de ensino e advocacy. Entre os projetos atuais estão o “Discriminação e Controle de Dados em Cidades Inteligentes Brasileiras” e “Mapeamento de Mídia Digital no Brasil” (OSF), “Bibliotecas de Sombra” (IDRC / MIT) e “CODE” (IDRC). Entre 2015 e 2016, Jhessica trabalhou como pesquisadora visitante no Instituto McGill para o Estudo do Canadá (MISC). Desenvolve, desde 2017,  pós-doutorado sobre Direito à Cidade e Estudos da Noite na Universidade do Estado do Rio de Janeiro.

Eduardo Kaplan Barbosa
Coordenador da Frente de Cidades do Estudo de IOT, BNDES
Eduardo Kaplan Barbosa é economista formado pela UFRJ, com mestrados em planejamento urbano e regional pelo IPPUR/ UFRJ (2010) e políticas públicas e desenvolvimento econômico pela Harvard Kennedy School (2017). Atua no BNDES desde 2006, onde teve experiência com financiamentos a Estados e Municípios no Departamento de Desenvolvimento Urbano e também na avaliação e proposição de políticas para inovação e desenvolvimento regional, como assessor da Presidência. Atualmente trabalha no Departamento de Tecnologia de Informação e Comunicação como coordenador da Frente de Cidades do Estudo de IoT, conduzido em parceria pelo BNDES e MCTIC.

Anthony Boanada-Fuchs
Gerenciamento de Projetos e Redes, GIMLA
Anthony é arquiteto e urbanista franco-austríaco, com doutorado em Estudos de Desenvolvimento Internacional (IHEID). Depois do pós-doutorado e como visitante na Universidade de São Paulo (USP-CEM), Universidade de Lausanne (UNIL-IDG), Universidade de Basel (Europainstitute) e ETH Zurich (CASE), ingressou no St. Gallen Institute of Management in Latin America (GIMLA) no início de 2018. Os interesses de pesquisa e ensino de Anthony estão focados na economia política da transformação urbana e na questão de como as cidades podem se tornar mais habitáveis, seguras e sustentáveis ​​para seus cidadãos.

Daniel Lima Ribeiro
Coordenador do Núcleo de Pesquisa e Inovação do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ)
Daniel é mestre e doutor em Direito pela Faculdade de Direito da Duke University e atualmente desenvolve seu pós-doutorado em informática na PUC-Rio. É aluno da Fundação Estudar e Promotor de Justiça, com 18 anos de experiência no Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro. Daniel é coordenador do Núcleo de Pesquisa e Inovação do MPRJ e titular do 3º Gabinete de Justiça da Saúde da Capital, onde desenvolve ações de planejamento, financiamento, regulação e gestão na área da saúde, entre outros temas.

Pedro Capra (mediação)
Gerente de Projetos e Relações Acadêmicas, swissnex Brazil
Pedro Capra é PhD em Ciência Política pela UNICAMP. Passou 1 ano como professor visitante na Universidade de Zurique e na Northeastern University. Suas principais áreas de pesquisa são mecanismos de democracia direta, inovação democrática e sistema representativo e participação.