HanaHana na swissnex Brazil

O mundo virtual “HanaHana” floresceu e ganhou mãos na swissnex Brazil no evento que juntou programadores, produtores e entusiastas das experiências em realidade virtual. A noite contou com a presença da artista e criadora Mélodie Mousset, que foi entrevistada e explicou como sua criação está se desdobrando no mundo real, abrindo portas e possibilidades que ela mesma não esperava. O nome da obra é inspirado em uma fruta ingerida pela heroína Nico Robin, do mangá One Piece. Assim como Nico, o jogador que entra no mundo de HanaHana pode reproduzir partes do seu corpo (as mãos) em um ambiente desértico, que, ao ser explorado pelo jogador, revela lugares inusitados.

Mélodie é uma artista francesa baseada em Zurique que conquistou prêmios internacionais com seu projeto e desenvolveu parcerias com pesquisadores na área de saúde para estudar os desdobramentos do uso da realidade virtual com crianças em tratamento de câncer na Itália. Ela conta que quer expandir ainda mais o mundo de HanaHana e prevê mais dois anos de trabalho e desenvolvimento da experiência. Na swissnex Brazil, Mélodie apresentou seu mundo virtual, que pôde ser experimentado pelo público.

A Hackathon SNX.VR foi lançada durante evento. A proposta da hackathon é estimular equipes de artistas, designers, músicos, programadores e criativos para expandir o mundo de HanaHana com utilização de um dispositivo criado pelo neurocientista Bruno Herbelin, vice-diretor do Centro de Neuroprostética da EPFL em Lausanne na Suíça. O dispositivo se chama “Virandola”, que significa moinho em italiano, e permite captar o ar produzido pela respiração por meio de um pequeno catavento acoplado ao headset de realidade virtual. Assim, o sopro e a respiração transformam-se em dados para interação no mundo virtual. O trabalho de Bruno tem código-fonte aberto e ele explica online que é possível construir sua própria “Virandola” utilizando impressão 3D, microprocessadores e materiais de fácil acesso. O objetivo da Hackathon SNX.VR expandir os limites da interação HanaHana e Virandola. A Hackathon acontecerá em agosto de 2019 na swissnex Brazil.

Durante o evento, vários convidados já começaram a organizar seus times para a Hackathon e a própria Mélodie disse que entraria em um grupo se pudesse! A exigência para a competição é que ao menos um dos participantes de cada grupo seja experiente na linguagem do Unity 3D – uma plataforma de desenvolvimento de jogos na qual o HanaHana foi criado. Cada time pode ter entre três a quatro integrantes. Inscrições e mais detalhes serão divulgados pela swissnex Brazil em breve.

Veja o vídeo do evento com a Mélodie:

 

Assista abaixo o vídeo em que o neurocientista Bruno explica a “Virandola” – vídeo mostrado e criado especialmente para o evento.