Matemática para mudança: impactos dos algoritmos para inclusão social

Novas soluções tecnológicas, plataformas digitais e aplicativos têm sido desenvolvidos para combater desigualdades sociais e promover a inclusão. Grande parte destas inovações são baseadas em algoritmos, representados por fórmulas matemáticas em linguagens de programação. No evento Math for Change: The Impact of Algorithms on Social Inclusion, um grupo de especialistas, educadores e mobilizadores sociais trocaram ideias, com a participação do público, sobre o papel da matemática para transformação social, inclusão e democratização de tecnologias.

A diversidade de convidados proporcionou uma abordagem ampla do tema, com destaque para implicações sociais e éticas de novas tecnologias. O uso de metodologias de ensino à distância foi uma lembrança recorrente na mesa, assim como a necessidade de estimular a atratividade da matemática para alunos nas escolas.

Convidados

Peter Bühlmann (ETH Zurich)
Professor de Matemática na ETH Zürich, onde recebeu seu doutorado. Trabalhou no pós-doutorado no Departamento de Estatística e foi professor assistente na Universidade da Califórnia, Berkeley. Sua principal pesquisa é no campo da estatística, relacionado a machine learning, bioinformática e biologia computacional. Suas áreas de atuação são estatística de alta dimensão, métodos computacionais para modelagem em grande escala e inferência causal.

 

Silvana Bahia (Olabi)
Diretora da Olabi, organização focada em inovação social, tecnologia e diversidade, onde coordena o Pretalab. Integra o Grupo de Pesquisa em Políticas e Economia Política da Informação e Comunicação no Programa de Pós-Graduação em Comunicação da UFRJ e é mestre em Cultura e Territorialidades pela UFF. Silvana é colaboradora da plataforma Afroflix e recebeu o Prêmio Destaques da Cultura Digital: Inovação Social e Tecnologia, concedido pelo Centro Cultural Banco do Brasil e pelo Programa Avançado de Cultura Contemporânea da UFRJ em 2017.

 

Fábio Ferrentini (Tércio Pacitti Institute)
Graduado em Ciências da Computação pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, Mestre em Engenharia de Sistemas e Computação (Coppe/UFRJ), Ph.D. em Tecnologias e Educação Científica (Universidade de Londres) e pós-doutorado pela Universidade de Oxford – Learning Technologies Group. Atua no Instituto Tércio Pacitti de Aplicações e Pesquisas Computacionais da Universidade Federal do Rio de Janeiro.

 

Lucas Dominique da Silva (Instituto Maria João Aleixo)
Vive no Rio de Janeiro desde os 8 anos de idade na comunidade do Juramentinho. Ele trabalha com a criação de materiais pedagógicos acessíveis, tecnologia e inovação, no Instituto Maria João Aleixo. O instituto dedica-se à formação, criação e difusão de conhecimentos sobre espaços populares para superar a visão hegemonicamente negativa das periferias e das favelas. Iniciou uma pesquisa sobre como atrair mais negros e moradores das periferias para o campo da tecnologia, buscando a criação produtos que traduzam e contenham a essência da periferia e da favela promovendo, assim, a inclusão social.

 

Rita Afonso (Rede Desis)
Professora da Universidade Federal do Rio de Janeiro na Escola de Administração de Empresas. É pesquisadora associada do Laboratório de Tecnologia e Desenvolvimento Social e da Rede DESIS – Design para a Inovação Social e Sustentabilidade, ambos do Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Produção. Como pesquisadora, trabalha na Rede de Inovação Social LASIN-Latinoamericana em diversos projetos. Suas áreas de interesse são novas formas de produção e consumo, inovação social, gestão de iniciativas sociais e humanidades digitais.

 

Mediação: Samuel Senti
Mestre em Matemática pela ETH Zürich e doutor pela Université de Paris-Sud, Orsay. Atualmente é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro, trabalhando principalmente em sistemas dinâmicos e teoria ergódica.