Smart Building: Increase of energy efficiency and self-sufficiency

Há um longo caminho a percorrer em relação à exploração e formação de uma cadeia de fornecimento do bambu, apesar da grande biodiversidade deste material: no Brasil existem cerca de 230 espécies de bambu. A troca de ideias entre profissionais e representantes institucionais de alto nível refletiu sobre a utilização desse material e possíveis impactos na sociedade. Três especialistas sobre o assunto discutiram o tema:

  Celina Llerena
Arquiteta e sócia-fundadora da Escola Ebiobambu. Proprietária de escritório de arquitetura e construção com mais de 39 anos de experiência no mercado onde desenvolve projetos de arquitetura ecológica e convencional, consultoria e adaptação de projetos de arquitetura convencional para arquitetura ecológica, gerenciamento, suporte, supervisão e monitoramento de obras.

Guillaume Habert
Formado em Estudos da Terra, Atmosfera e Oceanos na École Normale Supérieure em Paris, PhD em Geologia Estrutural em Toulouse (França). Trabalha no desenvolvimento de concreto sustentável, o que o levou a abordar a avaliação ambiental de materiais de construção, bem como o desenvolvimento de novos ligantes, como geopolímeros. Desde agosto de 2012, Guillaume Habert ocupa a presidência da Sustainable Construction e é professor associado na ETH Zurich. Em junho de 2014, ele ingressou na NCCR Digital Fabrication.

Romildo Dias Toledo Filho
Graduado em Engenharia Civil pela Universidade Federal da Paraíba (1983), com mestrado e doutorado em Engenharia Civil pela PUC-Rio (1986, 1997). Atualmente é professor da Universidade Federal do Rio de Janeiro e vice diretor da Coppe/UFRJ. Tem experiência na área de Engenharia Civil com ênfase em concreto, atuando principalmente com materiais compósitos, materiais de baixo impacto ambiental, resíduos sólidos (municipais, construção e demolição, agrícolas e industriais), durabilidade, concreto refratário, pastas para cimento e barragens de concreto.